Últimas Notícias
Capa / Editorial / [Editorial] A prisão de Cunha: A classe dominante corta as cabeças que convém.
[Editorial] A prisão de Cunha: A classe dominante corta as cabeças que convém.

[Editorial] A prisão de Cunha: A classe dominante corta as cabeças que convém.

Redação UàE . .19/10/2016

Na tarde de hoje, o ex-presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha, foi detido em um pedido de prisão preventiva, depois de um lento processo para indiciá-lo. Há, é claro, nos corações de nossa classe um particular prazer ao assistir mais esse episódio de descenso deste personagem nefasto e caricato da política brasileira – o qual foi um dos principais articuladores do golpe. No entanto, é preciso abandonar toda a ingenuidade, pois qual seja a conclusão do processo, esse cenário é apenas mais uma mostra de que a classe dominante entrega quem for necessário, desde que seus interesses estejam garantidos, até mesmo um Presidente, se for o caso.

Para o Capital, pouco importa quem está no poder e quantas cabeças dos administradores de seus interesses serão necessárias entregar de bandeja, desde que seu domínio econômico e político esteja assegurado. Para quem corta na carne de milhares de trabalhadores, devastando a nossa classe e colocando em risco as condições gerais de sobrevivência do país na próxima década, em nome da própria sobrevivência, descartar alguns peões do seu jogo custa muito pouco.

Cunha, o padrinho de MBLs e afins, era mais um desses sujeitos que escancararam a indissociabilidade entre Capital e Estado e, pela brutalidade e desfaçatez com que operam, demonstram que esta democracia serve apenas como um exercício da dominação burguesa. Tendo isso em vista, sua prisão não pode nos arrefecer, e muito menos nos fazer crer que esta Justiça será o caminho para resolver a grave crise que vivemos. Esta Justiça, este Estado, é dos empresários. Para a classe trabalhadora a aposta será sempre a luta – nas ruas, nas ocupações, nas greves! Pois é lutando, sonhando e construindo efetivamente uma outra democracia, uma outra sociedade, que nossa classe poderá superar este cenário e trilhar um caminho de emancipação da humanidade!

 
Todos à paralisação geral do dia 24 de outubro! Todos à construção da greve geral! Contra a PEC 241 e todos os ataques a classe trabalhadora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*